Volume
Redes
Sociais
TRUMP ACEITA CALADO O APOIO DE LÍDER ANTISSEMITA E DA KU KLUX KLAN
04/03/2016 - 15h11 em Novidades

 


A Liga Anti Difamação, que criticou Donald Trump por sua falta de resposta após ser aprovado pelo líder da KKK David Duke, disse em seu site oficial que o líder religioso islâmico antissemita, Louis Farrakhan, tem dado o seu apoio a Trump para presidente.

O líder da Nação do Islã (NOI), Farrakhan, fez suas declarações de apoio a Donald Trump durante seu sermão no Dia dos Salvadores na Mesquita Maryam, em Chicago, no qual ele também fez acusações antissemitas sobre o suposto controle governamental judaico. 



"Donald Trump é o único candidato que afrontou a comunidade judaica e disse que não queria o seu dinheiro. Toda vez que um homem pode dizer para aqueles que controlam a política dos Estados Unidos, eu não quero o seu dinheiro, isso significa que você não pode controlar-me. E eles não podem se dar ao luxo de abrir mão do controle dos presidentes dos Estados Unidos", declarou Farrakhan em seu sermão.

Farrakhan depois se distanciou do apoio definitivo a Trump, afirmando: "Não é que eu seja pró-Trump, mas eu gosto do que eu estou vendo nele." 

Também em seu sermão, Farrakhan culpou o povo judeu, que ele se refere como a "Sinagoga de Satanás" por provocar o ataque de 11/09 e a Guerra do Iraque (sic). 

Farrakhan defendeu seu uso da frase a "Sinagoga de Satanás", discutindo suas origens a partir do livro de Apocalipse e disse: "Satanás é um ser humano sem características humanas. É por isso que o revelador chamou bestas em forma humana. Estas são pessoas sentadas no Pentágono, que planejam a destruição das nações muçulmanas." 



Farrakhan também alegou que o ex-presidente do Banco Mundial, Paul Wolfowitz, e outros funcionários do governo têm planejado "como eles vão limpar o Oriente Médio e assumir as nações muçulmanas".

"Eles (os judeus) entraram na administração Bush e em 11/09 as Torres gêmeas foram destruídas ... George Bush, e aqueles demônios, demônios em torno dele. Eles conspiraram para o 11/09. Nenhum muçulmano assumiu o controle de nenhum avião." 

Farrakhan, que tem servido como ministro das principais mesquitas em Boston e Harlem, tem sido fortemente criticado por sua retórica antissemita e anti-brancos. 

A ADL condenou Farrakhan por comentários antissemitas e adicionou-o à lista de extremistas que estão dando seu apoio por trás de Donald Trump.



Na quarta-feira passada, o ex-líder da Ku Klux Klan David Duke disse a seus seguidores que um voto para qualquer candidato que não seja Trump seria "traição à sua herança." 

Trump não se distanciou do líder da KKK antissemita e alegou que ele "não sabia nada" sobre Duke, porém mais tarde afirmou que ele não sabia que Duke lhe havia endossado. 

Trump não condenou o endosso por Duke ou as declarações feitas por Farrakhan em apoio a sua campanha.

 

www.ruajudaica.com

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!