Volume
Redes
Sociais
Os judeus venezuelanos fogem do caos e imigram para Israel
06/08/2017 - 10h14 em Notícias

Vinte e seis judeus venezuelanos fizeram Aliah para Israel fugindo do conflito político, social e econômico do país sul-americano. Depois de vários anos de descontentamento com o governo de extrema esquerda, sob o comando do presidente Nicolás Maduro e seu antecessor Hugo Chávez, a Venezuela foi atormentada por protestos iniciados em abril contra o governo de Maduro.

"A situação é muito difícil", disse Michal Levy de 35 anos, ao chegarem a Israel na ultima quarta feira, junto com seus três filhos. "É difícil conseguir coisas básicas como pão e farinha", disse Levy acrescentando que tinha medo de sair de casa devido a tumultos ou sequestros.

Bens e serviços básicos foram interrompidos pelo mau funcionamento econômico e a estabilidade social vem se desintegrando em batalhas quase diárias entre policiais e jovens nas ruas. Em maio, o presidente Maduro comparou o assédio dos funcionários do governo de seu país e suas famílias, que vivem no exterior, igual ao tratamento dos nazistas contra os judeus. Ele também disse que os comícios de oposição em Caracas “são reminiscentes de manifestações durante o surgimento do nazismo e do fascismo na Europa anterior à Segunda Guerra Mundial.”

"Nós somos os novos judeus do século XXI que Hitler perseguiu", disse Maduro. "Nós não carregamos a estrela de David amarela, nós carregamos corações vermelhos que estão cheios de vontade de lutar pela dignidade humana. E nós vamos derrotar esses nazistas do século atual".

A retórica antissemita foi frequentemente empregada por Chávez para desviar as críticas da profunda crise financeira do país e acusações de corrupção. A Venezuela é o lar de cerca de 9 mil judeus. Muitos deixaram o país e se mudaram, principalmente para a Flórida e Israel.

Fonte: ruajudaica.com 4/8/2017

COMENTÁRIOS