Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Parada Gay de Istambul é dissolvida a tiros e porrada pela polícia turca
03/07/2018 21:06 em Notícias

Entenda: Para Erdogam, Israel usar balas de borracha contra os palestinos do Hamas que tentam invadir Israel é um crime de guerra, mas atirar com balas de borracha pelas costas de seus cidadãos gays no centro da capital turca é a vontade de Allah e o correto.

Nem pense por um instante que as lideranças GLBTI+ brasileiras se pronunciarão contra a Turquia. O problema delas é contra Israel, onde os gays são absolutamente livres, onde Tel Aviv é considerado o melhor destino para turismo GLBTI+ do mundo. As lideranças GLBTI+  brasileiras até parecem não aceitar que judeus possam ser gays, pois são judeus, ora bolas. Isso ficou claro quando os judeus foram colocados para fora da última Parada Gay em SP.

Gays enforcados por decisão jurídica no Irã, homossexualismo considerado crime nos países islâmicos e na Rússia continuarão livres de críticas pelos líderes gays brasileiros que preferem o alinhamento com a esquerda política aproveitando um país onde são livres, para criticar outro país onde também são livres.

Na Turquia de Erdogan, cada vez mais parecido com o falecido Hugo Chávez em seu projeto de autoperpetuação no poder, os gays não são livres, mas há uma minoria com coragem. Lá, a homossexualidade não é crime. Pelo quarto ano seguido, cerca de mil pessoas desafiaram a proibição do governo e foram à praça Taskin, a principal da capital turca para a Istambul Pride. É o evento mais importante num país muçulmano do Oriente Médio e África.

O político radical islâmico sunita olha do cartaz eleitoral parte de seu próprio povo que quer liberdade.

Ousaram ler um discurso pedindo liberdade sexual e manifestantes abriram bandeiras do arco-íris.

Do outro lado, centenas de policiais de choque partiram para cima dos manifestantes distribuindo muita pancada e tiros de balas de borracha. O governador da capital justificou a caça-ao-gay pois eles “colocavam em risco a segurança pública.”

Sabemos que os turco-otomanos são corajosos e cruéis. Não mantiveram um império submetendo os árabes por 400 anos com carícias e discursos. Será que estes dois policiais são bisnetos de soldados turcos que trucidaram 1,5 milhões de cristãos na Armênia em 1917-1918? Provavelmente.

Bem, estamos falando aqui de turcos muçulmanos que massacraram milhares de armênios cristãos em 1893, 1897 e 1898, e posteriormente, durante a Primeira Guerra Mundial, trucidaram cerca de 1,5 milhões de armênios cristãos além de quase todos os cristãos da região da Síria entre 1917 e 1918. Qual é o problema para eles de espancar gays?

Não perca de vista a fala de Erdogan afirmando que no ano de 2025 ele terá reconstruído o Império Turco-Otomano.

Sete policiais turcos equipados contra um super-gay-turco franzino, é a foto do Estado turco sob o controle de Erdogan.

Fonte: https://www.menorahnet.com.br/12738-2-559-1/

COMENTÁRIOS